7 dicas para emagrecer 10 kg em seis semanas

 

Os truques estão no livro “Six Weeks to OMG: Get Skinnier than All Your Friends”, que propõe uma dieta polêmica para o emagrecimento rápido

 

Imagine uma dieta em que você deve ignorar o café da manhã e os lanchinhos entre as refeições, malhar em jejum e tomar muito café. Apesar de ir contra a todos os princípios defendidos pela maioria dos nutricionistas, o autor dessa nova proposta de emagrecimento, o personal trainer Venice A Fulton (de nome real Paul Khanna), garante que ela funciona.

Suas dicas polêmicas estão descritas no livro “Six Weeks To OMG: Get Skinnier Than All Your Friends” (“Seis semanas para o ‘Oh, Meu Deus’: Fiquei mais magra que todas as suas amigas”, em tradução livre) e foram prontamente criticadas pelos especialistas da área. Em contrapartida, tornou-se um sucesso entre aquelas que querem eliminar as gorduras extras em pouco tempo.

Em entrevista ao Huffington Post, Paul disse estar preparado para desafiar seus críticos e que alguns médicos já se mostraram favoráveis a alguns dos hábitos propostos na publicação. Todos os passos sugeridos por ele vieram de pesquisas publicadas em periódicos disponíveis no site da American National Institutes of Health.

Segundo ele, contar clichês científicos em relação à nutrição que ninguém confere é uma vergonha. “Eu não suporto isso. A vida é demasiada curta para perdermos”, afirma.

Em resumo, o livro sugere uma dieta que combina nutrição, bioquímica, genética e psicologia para eliminar os quilos extras e reduzir as celulites. Confira a seguir alguns dos passos polêmicos propostos pelo personal de Londres e selecionados pelo Huffington Post. Porém, antes de segui-los, recomendamos que você consulte um especialista.

1. Pular o café da manhã pode ser saudável

Paul defende que, de manhã, o corpo quase não possui açúcar no sangue, sendo a oportunidade perfeita para queimar a gordura que está estocada nos pneuzinhos. Essa seria a melhor hora do dia para o gasto calórico. Além disso, ele argumenta que nenhuma pesquisa comprovou que pessoas que pulam o desjejum comem mais ao longo do dia.

2. Malhação vai além de intensidade e duração

Para o personal trainer, a intensidade e a duração do treino não são tão determinantes para o gasto calórico durante a malhação do que o horário escolhido para ela. Tendo em vista que é de manhã que o corpo possui menores níveis de açúcar no sangue, a proposta da dieta é apostar na malhação em jejum. Assim, segundo o autor do livro, o emagrecimento seria favorecido.

3. Algumas frutas impedem a perda de peso

Se a maioria das dietas defende o consumo de frutas ao longo do dia, Paul vai pelo caminho oposto. Ele reconhece que elas são ricas em vitaminas, minerais e outros nutrientes, mas também ressalta que elas possuem alta concentração de frutose, um tipo de açúcar que também engorda. Além disso, o composto afeta a liberação de leptina, que é o hormônio da saciedade, o que nos estimula a comer mais.

4. Sucos e smoothies prejudicam a perda de peso

No caso dos sucos e smoothies, os argumentos são os mesmos do item anterior. Isso porque, como em geral são feitos de frutas frescas, eles também são ricos em frutose, o açúcar presente nesses alimentos.

5. Evite os lanches

A regra básica de que é preciso comer de três em três horas para manter o metabolismo acelerado também é contrariada pelo personal trainer. Segundo ele, o corpo precisa ficar sem receber combustível (no caso, alimentos) para poder gastar suas reservas de gordura. Assim, para Paul, nada de lanchinhos de manhã ou à tarde: comer três vezes ao dia já estaria ótimo.

6. Cafeína é amiga da dieta

Na dieta “Six Weeks to OMG”, o cafezinho está liberado. Paul explica que a bebida é uma potente aliada da queima de gordura, pois encoraja as células do organismo a liberar a energia armazenada. A ressalva, no entanto, é que o café deve ser ingerido sem leite ou açúcar.

7. Tome banho frio

Uma das polêmicas dicas do livro passa longe da academia para favorecer o emagrecimento. O personal trainer aconselha as leitoras a tomar um banho gelado pelas manhãs, logo depois de acordar. Isso potencializaria o gasto calórico, fazendo com que o corpo gaste 25 vezes mais energia. Porém, a temperatura deve ficar nos 20 graus, para não levar à hipotermia.

Quem quiser conferir a dieta completa pode comprar o seu exemplar do livro (em inglês) aqui, por aproximadamente 8 libras.

 

http://todaela.uol.com.br/boa-forma/7-dicas-para-emagrecer-10-kg-em-seis-semanas

 

Aposte no valor nutricional para perder calorias

Segundo a nutricionista Flávia Ferazzo, um organismo bem nutrido é capaz de entrar na zona de equilíbrio garantindo saúde e longevidade
Da Exame.com

São Paulo – De acordo com os princípios de uma alimentação saudável, todos os grupos de alimentos devem compor a dieta diária. Ou seja, água, lipídios, carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais, fibras, precisam estar presentes na alimentação para um bom funcionamento do organismo. Porém, quando se quer perder peso ou apenas mantê-lo, a preocupação com a quantidade de calorias ingeridas passa a fazer parte da rotina.

“O maior problema é quando as pessoas focam apenas nas calorias e deixam de lado o mais importante, o valor nutricional dos alimentos”, afirma a nutricionista Flávia Ferazzo Figueirêdo. “Claro que saber as calorias ajuda na dieta, mas não adianta optar por um chocolate ao invés de uma fruta no lanche da tarde por exemplo.”

Segundo a nutricionista, um organismo bem nutrido é capaz de entrar na zona de equilíbrio garantindo saúde e longevidade. E ao priorizar alimentos ricos em proteínas e fibras, o organismo gasta mais energia ajudando no processo de emagrecimento.

“O segredo para perder peso e manter uma vida saudável é fazer uma reeducação alimentar, ingerindo todos os grupos de alimentos. Outra dica é comer de 3 em 3 horas para estar sempre saciado e comer apenas o necessário”, explica Flávia Ferazzo Figueirêdo. “Afinal, quem passa fome o dia inteiro pensando no que comerá em uma festa ou jantar, por exemplo, já se coloca como perdedor. Economiza calorias só porque sabe que vai exagerar em algum outro momento do dia.”

Optar por alimentos frescos ao invés dos industrializados, que contém muito sódio, é uma outra ferramenta importante para quem busca uma vida mais saudável. Por isso, as informações de uma tabela de composição de alimentos são pilares básicos para a educação nutricional, o controle da qualidade dos alimentos e a avaliação da ingestão de nutrientes.

“Se o objetivo é reeducar ou perder peso, mas o paciente não sabe como fazê-lo, o caminho é buscar ajuda profissional. Uma nutricionista pode orientá-lo em relação ao cardápio, mostrando quais os alimentos que ele deve priorizar em sua dieta diária”, ressalta Flávia Ferazzo Figueirêdo. “Isso não quer dizer que o paciente nunca mais vai comer um doce ou uma pizza. Poderá sim comer, mas o fará eventualmente e com muito mais moderação.”

Flávia Ferazzo Figueirêdo é nutricionista graduada pela Universidade Federal de Goiás. Especialista em Nutrição Clínica Funcional, participa do Grupo Longevidade Saudável (Nutrição na Modulação Hormonal Bioidêntica – Anti-aging).

Perca até 4 kg comendo carboidratos

Do MdeMulher
 

Não quer excluir o carboidrato da sua dieta? Acompanhe o cardápio de 1.000 calorias diárias que induz ao emagrecimento de até 4 kg. Para a dieta dar certo, coma a cada três horas, aumente o consumo de água (para otimizar os benefícios das fibras e liberar toxinas) e faça exercícios regularmente para manter o metabolismo ativo. 
 

Primeiro dia

 

Café da manhã (7h30) 
· 1 fatia de mamão 
· 1 copo de leite semidesnatado com café 
· 1 fatia de pão integral com requeijão light 
 
Lanche da manhã (10h) 
· 1 caixinha de suco de soja de uva light 
· 1 bisnaguinha 
 
Almoço (13h) 
· 1 prato de salada de folhas cruas variadas, temperada com 1 col. (café) de azeite de oliva e ervas 
· 2 col. (sopa) de arroz integral 
· 1 concha peq. de feijão branco 
· 1 sobrecoxa grelhada com molho de iogurte e limão 
· 1 porção de legumes cozidos no vapor ou com pouca água 
· 1 copo de chá gelado light 
· 1 porção de salada de fruta 
 
Lanche da tarde (15h) 
· 1 barrinha de cereais (dar prioridade as com maior quantidade de fibras) 
· 1 copo de água com gotas de limão 
· 1 brigadeiro pequeno 
 
Jantar (19h30 ou 20h) 
· 1 sanduíche natural feito com duas fatias de pão light, 2 fatias de peito de peru e creme de ricota 
· Salada com 1 tomate cortado em cubos e 1 cenoura ralada 
· 1 copo de suco de fruta natural 
 
Lanche da noite (22h) 
· 1 xíc. de chá branco adoçado com mel

Segundo dia

 

Café da manhã (7h30) 
· 1 pote de iogurte desnatado com 1 col. (sopa) de aveia 
· 1 kiwi 
· 1 xíc. de chá branco (se quiser, use adoçante) 
 
Lanche da manhã (10h) 
· 1 bolacha recheada 
 
Almoço (13h) 
· 2 col. (sopa) de arroz branco 
· 1 concha de feijão 
· 1 porção de peixe com cebola e tomate 
· 1 porção de salada de rúcula com tomate seco 
· 1 porção de refogado de vagem com pimentão vermelho e amarelo 
· 1 suco light 
· 1 pote de gelatina de abacaxi 
 
Lanche da tarde (15 h) 
· 1 minibombom 
· 2 fatias de presunto magro 
· 4 fatias de mamão 
 
Jantar (19h30 ou 20h) 
· 1 prato de sopa de legumes com macarrão 
 
Lanche da noite (22h) 
· 1 shake de proteína

Terceiro dia

 

Café da manhã (7h30) 
· 1 xíc. de café 
· 1 fatia de bolo de laranja 
· 1 pote de mix de frutas 
 
Lanche da manhã (10h) 
· 2 rolinhos de peito de peru 
 
Almoço (13h) 
· 1 batata inglesa assada recheada com queijo-de-minas e ricota 
· 1 bife 
· 1 porção de salada de maçã verde com uva passa e alface crespa 
· 1 suco de uva light 
· 1 pote de gelatina diet 
 
Lanche da tarde (15h) 
· 1 barrinha de cereais 
· 2 amêndoas 
 
Jantar (19h30 ou 20h) 
· 2 col. (sopa) de arroz integral 
· 1 porção de atum conservado em água 
· 1 porção de suflê de legumes alaranjados 
· 1 copo de chá gelado light 
· 1 fatia fina de manjar 
 
Lanche da noite (22h) 
1 pote de mingau de aveia

Quarto dia

 

Café da manhã (7h30) 
· 1 copo de leite desnatado com 1 col. (sopa) de cacau e adoçante 
· 2 fatias de pão de iogurte com cenoura e 1 col. (sopa) de mel 
 
Lanche da manhã (10h) 
· 2 ameixas pretas 
· 1 iogurte natural 
 
Almoço (13h) 
· 1 porção de espaguete com camarão 
· 1 prato (sobrem.) de legumes no vapor 
· 1 suco de maracujá com limão (use adoçante se quiser) 
 
Lanche da tarde (15h) 
· 1 banana 
· 1 Polenguinho light 
 
Jantar (19h30 ou 20h) 
· 1 sanduíche natural feito com duas fatias de pão integral e 1 col. (sopa) de frango desfiado com azeite 
· 1 copo grande de suco verde 
 
Lanche da noite (22h) 
· 1 xíc. (chá) de leite morno com pólen de abelha

Quinto dia

 

Café da manhã (7h30) 
· 1 xíc. de café com leite desnatado 
· 1 minipão de gengibre com geleia de frutas 
· 1 porção de morangos 
 
Lanche da manhã (10h) 
· 1 copo de suco verão com ½ parte de iogurte e ½ parte de suco a gosto 
 
Almoço (13h) 
· 2 col. (sopa) de arroz branco com 1 col. (sopa) de quinoa 
· 1 concha de ervilhas frescas 
· 1 medalhão de carne magra 
· 1 prato de folhas verdes variadas 
· 1 porção de abobrinha gratinada 
· 1 copo de suco de abacaxi 
· 1 fatia de melancia 
 
Lanche da tarde (15h) 
· 1 iogurte desnatado 
· 1 barrinha de cereais 
 
Jantar (19h30 ou 20h) 
· 1 prato de sopa com sete legumes e músculo 
· 2 castanhas-do-pará 
 
Lanche da noite (22h) 
· 1 copo de leite desnatado com aveia e mel

Agora sem medo de calorias

Da Revista Veja – 4 de janeiro de 2012
Os Vigilantes do Peso, a maior empresa de dietas do mundo, criam novo sistema de pontos que ignora o valor calórico dos alimentos. Frutas são boas. Sucos, um perigo!

Uma laranja e meio copo de suco da fruta contêm a mesma quantidade de calorias: 40. O suco, porém, é menos saudável que a fruta. Por quê? Ambos são ricos em açúcares e ambos têm carga glicêmica considerável (veja a comparação ao lado). Mas, sem as fibras que a fruta contém, o suco puro obriga o pâncreas a produzir insulina hormônio responsável por transportar a energia para dentro das células muito rapidamente, para contrabalançar o açúcar circulante. As fibras contidas na fruta atrasam esse processo metabólico, o pâncreas trabalha menos abruptamente, sem choques para o organismo. Em um efeito benéfico adicional, para serem digeridas as fibras vão obrigar o organismo a gastar energia que, de outra maneira, seria estocada no corpo na forma de gordura. “O suco da fruta sem as fibras é o que·leva ao aporte exagerado de insulina”, diz o endocrinologista Freddy Eliaschewitz, diretor W do Centro de Pesquisas Clínicas de São Paulo. Esses picos de insulina duram pouco, logo a sensação de saciedade se esvai e a fome volta com força total. O que parece uma refeição frugal . é uma bomba energética para o organismo. As fibras contidas nas frutas prolongam a sensação de saciedade e a pessoa acaba comendo menos.

Embora estudos de vanguarda já .. apontassem desde meados do século passado as diferenças nos processos pelos quais o organismo lida com o açúcar na ausência das fibras e na presença delas, esse conhecimento só se tornou inquestionável há pouco tempo. Os Vigilantes do Peso, filial brasileira da maior empresa de dietas do mundo, a Weight Watchers International, vão pôr em prática a partir desta semana um novo programa de emagrecimento que reflete esse avanço. Ele ignora a quantidade de calorias contida nos alimentos. “Contar calorias é inútil”, diz David Kirchhoff, presidente da instituição. A nova dieta mantém o modelo de pontos em vigor desde 1997 no mundo e que leva em conta o peso, a altura, o sexo e a idade da pessoa. A inovação é o critério adotado para chegar à pontuação final. Entra na conta, agora, o fato de que o processo metabólico de quebra de carboidratos consome até 20% das calorias contidas na comida, enquanto a quebra da gordura gasta só 5% do teor energético total.
Como regra, o novo programa incentiva o consumo maior de proteínas e de fibras, por elas prolongarem a sensação de saciedade. Por isso, embora tenham a mesma quantidade de calorias (105), um filé de 100 gramas de pescada branca equivale a 3 ProPontos, como foi batizada a nova unidade de medida dos Vigilantes, enquanto uma coxinha de frango pequena equivale a 8. Meio copo de suco de laranja equivale a 2 ProPontos. Uma laranja, a zero. O mesmo acontece na comparação entre um bombom grande (3 ProPontos) e um lanche composto de um copo de iogurte desnatado (2 ProPontos) e uma maçã (zero ProPonto), ambos com cerca de 110 calorias. Notou alguma semelhança entre os valores atribuídos às frutas? Pois é. Elas não contam pontos. Isso se deve ao alto teor de fibras e à sensação de saciedade que produzem. Por causa da quantidade de gordura, a única exceção entre as frutas é o abacate (a um quarto da fruta foram atribuídos 3 ProPontos). Pela nova abordagem dos Vigilantes do Peso, a fibra é o nutriente-mocinho da história e a gordura o maior vilão.
Apesar de extensa, a lista de pontos dos Vigilantes não consegue abarcar todo e qualquer alimento disponível nas prateleiras dos supermercados. Por esse motivo, quem adere à dieta rigorosamente precisa ter em mãos a calculadora de papel que faz parte do kit básico fornecido pela companhia. Uma calculadora eletrônica especial deve ser lançada ainda em janeiro e será vendida separadamente por 29 reais. Elas funcionam no caso de itens industrializados, que, por lei, trazem com eles uma tabela que discrimina a composição do alimento. Para saber quanto se está comendo, então, é necessário colocar na ferramenta -seja a digital, seja a analógica as quantidades dos quatro macronutrientes considerados pela dieta: carboidrato, proteína, gordura e fibra. Tem acesso a esse material quem participa das reuniões semanais, que ocorrem em onze estados brasileiros e no Distrito Federal a um custo de 25 reais por encontro mais 50 reais de matrícula, ou quem compra o programa a distância (189 reais). Nos Estados Unidos, onde o novo programa é utilizado pelos clientes dos Vigilantes há um ano, a média de emagrecimento é de 800 gramas por semana.
“A dieta dos Vigilantes é uma boa forma de conquistar o emagrecimento” afirma a nutricionista Juliana Baptista, do Centro de Pesquisas Clínicas de São Paulo. Ela funciona principalmente porque permite comer de tudo e emagrecer evitando o efeito rebote de quem se priva das refeições de que mais gosta, mas, é claro, não serve para 100% dos gordinhos. Embora a cota de alimentos a ser consumida varie de pessoa para pessoa – sendo 26 a mínima e 71 a máxima -, o processo de emagrecimento 6 algo muito mais complexo do que isso. E preciso levar em consideração também a forma como cada indivíduo estoca gordura em seu corpo e o grau de obesidade. “Quem tem mais acúmulo de gordura na região abdominal do que nos quadris, o chamado ‘tipo maçã’, deve tomar mais cuidado com o consumo de carboidrato e gordura do que aqueles que estocam energia nas coxas, o ‘tipo pera'”, diz o endocrinologista Geraldo Medeiros, da Universidade de São Pau10. Além disso, os muito obesos, em geral, precisam aliar regime, prática regular de exercícios físicos, remédios para controlar o apetite e acompanhamento multidisciplinar (médico, nutricional e psicológico).
As descobertas sobre as diferentes formas de absorção dos nutrientes contidos nos alimentos levaram o endocrinologista Alfredo Halpern, criador de uma dieta de pontos em prática há quatro décadas no Brasil, a rever sua fórmula. Baseada na quantidade de calorias contida em cada alimento, a lista do médico paulista simplificou a numeralha em que se transformou a vida daqueles que emagreciam contando calorias. Para isso, ele criou uma lista com quase 2000 alimentos em que 1 ponto equivale a 3,6 calorias e liberou seus pacientes para ingerir o que bem entendessem desde que respeitassem o limite determinado por ele de acordo com o perfil individual. Deu tão certo que seu modelo se espalhou por consultórios de milhares de médicos. Halpern reviu sua fórmula no livro intitulado A Nova Dieta dos Pontos, publicado pela Editora Abril, que também edita VEJA. O novo livro traz informações específicas sobre a quantidade de gordura trans, a forma hidrogenada altamente nociva da substância. Apesar da revisão, Halpern continua fiel a seu lema: “Só engorda quem come mais do que gasta”. A novidade, porém, é que a presença maior de fibras e proteínas nos alimentos obriga o organismo a gastar mais energia.

O que é dieta dissociada

O que é a dieta dissociada?

Por Patrícia Giuffrida postado às 15h00

Do MdeMulher

Você já ouviu falar da dieta dissociada? O nome pode ser esquisito, mas a ideia é bem mais simples. Não é um regime radical. Na verdade, não precisa deixar de comer nada e nem contar calorias. A única regra é consumir carboidratos do momento em que se acorda até às 18h.

Nessa lista, você pode incluir batata, cenoura, beterraba, frutas, pães, torradas e massas integrais. Eles fornecem a energia necessária para as atividades do dia. Depois desse horário, você só pode ingerir alimentos de proteína animal (como carnes, aves e peixes), que demoram mais a ser digeridos e, por isso, geram sensação de saciedade. Doces devem ser evitados.

Mais um detalhe importante: não é permitido misturar os dois grupos na mesma refeição. O  endocrinologista da Unifesp, João Cesar Castro Soares, explica o motivo em entrevista à revista NOVA: “A combinação dos dois grupos aumenta a liberação de insulina, hormônio responsável por barrar a ação da enzima lipase – encarregada da metabolização das moléculas de gordura”. Isso significa que, se a gordura não for “quebrada”, ela será estocada no corpo, especialmente na barriga e no culote.

Para seguir essa dieta, é necessário fazer seis refeições por dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanchinho da tarde, jantar e ceia. Dessa forma, você não corre o risco de ficar muitas horas em jejum e, com isso, evita explodir de fome.

Mas atenção! Não se arrisque a fazer a dieta por conta própria. Antes, consulte um médico ou nutricionista.

(Com reportagem de Paula Brandão Sereno para a revista NOVA)

 

Dietas como a de Atkins podem elevar riscos de ataque cardíaco

Da Veja.com

Dietas que restringem o consumo de carboidrato, como a famosa dieta do dr. Atkins, podem aumentar o risco de obstrução das artérias e levar a um ataque cardíaco. Esse conceito já era difundido por muitos especialistas, mas a confirmação foi dada por um estudo publicado nesta segunda-feira pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Para a pesquisa, cardiologistas do Beth Israel Deaconess Medical Center (BIDMC), em Boston, analisaram os efeitos de três dietas em ratos de laboratório. Enquanto um grupo foi submetido a altos níveis de gordura, outro recebeu um regime à base de pouco carboidrato e muita proteína. Um terceiro grupo serviu como controle.

Após seis semanas, a equipe observou que os riscos de arteriosclerose, nome dado à obstrução das artérias, foram duas vezes maiores entre os roedores privados de carboidratos, com chances de 5,4% e 2,2%, respectivamente. Doze semanas depois, a proporção se manteve, mas com riscos de 15,3% e 8,8%.

Segundo Anthony Rosenzweig, diretor de Pesquisa em Cardiologia do BIDMC, “é muito difícil compreender através de estudos clínicos a forma como as dietas afetam a saúde vascular”, já que seus efeitos não são acusados por indicadores como o colesterol. “Por enquanto, parece que uma dieta moderada e balanceada, aliada a exercícios regulares, é provavelmente o melhor para a maioria das pessoas”.

Os mitos com os quais vivemos

Da Veja (ed. 2114)

Informar-se sobre as bases da alimentação saudável é quase uma obrigação para quem quer cuidar bem de si e da família, mas as boas intenções às vezes abrem espaço a ideias distorcidas ou simplesmente erradas. Alguns dos mitos mais frequentes sobre nutrição e dieta são analisados aqui por especialistas

Beber muita água afina o corpo
Apesar das qualidades propaladas por modelos e atrizes, água não tem efeito algum. Primeiro, não queima caloria. “Não há comprovação científica de que ingeri-la em grandes quantidades ajuda a aumentar o metabolismo”, diz Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do Instituto de Metabolismo e Nutrição, em São Paulo. Segundo, não desincha. “O inchaço, principalmente aquele que acontece na fase pré-menstrual, se dá devido a um processo hormonal que termina por reter água nos espaços existentes entre as células. A água que bebemos não vai parar nesses espaços. Ela toma um caminho diferente; parte é eliminada, parte cai na corrente sanguínea. São dois metabolismos diferentes”, explica Dan Linetzky, professor de gastroenterologia da Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo. Terceiro, não acelera a eliminação de toxinas. “Os rins, por meio da urina, de fato eliminam subprodutos dos alimentos, como gorduras e radicais livres. Mas essa eliminação já acontece normalmente, com a ingestão de uma quantidade adequada de água”, informa Magnoni. Por quantidade adequada entenda-se 30 mililitros de água para cada quilo do corpo, ou seja, uma pessoa de 70 quilos deve tomar cerca de 2 litros de água por dia. Por fim, a única verdade sobre a questão: beber água atenua muito levemente a fome. “O estômago cheio de água dá certa sensação de saciedade”, diz Magnoni.

Adoçante dá câncer
Há basicamente cinco tipos de adoçante: aspartame, ciclamato, estévia, sacarina e sucralose. Existem estudos que relacionam câncer na bexiga à sacarina e ao ciclamato, duas substâncias químicas – estévia é uma planta, aspartame é uma combinação de aminoácidos e sucralose, um derivado do açúcar. “Mesmo esses estudos, porém, mostram que a relação só existe quando há altíssimo consumo dessas substâncias, algo como um frasco de adoçante por dia”, informa Celso Cukier, cardiologista e nutrólogo do hospital São Luiz, de São Paulo.

A dieta do abacaxi funciona
Em meados dos anos 80, a americana Judy Mazel criou a Dieta de Beverly Hills, regime para emagrecer feito com frutas, sobretudo abacaxi. O consumo de leite e derivados era proibido e o de proteínas, muito limitado. Ou seja, uma loucura que volta e meia ressurge. “É claro que um regime em que se come apenas um tipo de alimento faz emagrecer. Mas é claro também que, ao voltar à dieta normal, os quilos voltam junto”, diz Magnoni. “Além disso, deixar de comer carne causa deficiência de ferro e zinco, o que pode levar à anemia e até a problemas cardíacos”, esclarece Cukier.

Desintoxicação limpa por dentro
Clínicas de desintoxicação oferecem programas especiais para “limpar o organismo”, com duração mínima de uma semana. A alimentação é primordialmente líquida – sucos, chás e sopas –, acompanhada de lavagens intestinais diárias (batizadas de “hidroterapia do cólon”) e laxantes. Conforme a propaganda, a pessoa sai de lá com o corpo livre de corantes, conservantes, pesticidas e resíduos de carne vermelha, açúcar, farinhas brancas, derivados do leite e cafeína e outros venenos. Até pedras na vesícula são eliminadas, segundo a crença. “Para começar, a vesícula não se liga ao intestino. Dessa maneira, não há modo de, por meio de uma lavagem intestinal, pedras da vesícula serem eliminadas”, diz o gastroenterologista Linetzky. “Aliás, as pedras formadas na vesícula não têm nenhuma relação com a alimentação. Elas se formam devido a alterações inflamatórias da mucosa do órgão.” Lavagens constantes podem modificar a flora intestinal. “O fígado e os rins já são excelentes máquinas de eliminação de escórias alimentares. O fígado separa o que é alimento bom de restos, como colesterol e radicais livres, e os rins os expelem. Essas desintoxicações, além de perigosas, são inúteis”, alerta Magnoni.

Carne apodrece no sistema digestivo
A carne em ambiente natural se decompõe devido à ação de bactérias presentes no ar, responsáveis pelas secreções que quebram as fibras musculares. Essa quebra desencadeia reações químicas que liberam as proteínas, as gorduras e os açúcares presentes na composição da carne. As três substâncias viram comida para as bactérias e combustível de um processo reprodutivo espetacularmente rápido. Em cerca de dez horas, se estiver crua, e o dobro disso, se for cozida, a carne está estragada. Na carne ingerida, a quebra das fibras musculares é feita pelo suco gástrico, no estômago, e pelo suco pancreático mais bile, no intestino; o processo todo leva, no máximo, três horas. Proteínas, açúcares e gorduras liberados são em parte absorvidos pelo corpo e em parte expelidos. “Até existem bactérias no intestino, mas elas não participam da quebra das fibras. Ao contrário, ajudam na regeneração das células intestinais”, explica o nutrólogo Magnoni.

Chá verde emagrece
O chá verde contém substâncias que aceleram o metabolismo ao elevar os batimentos cardíacos, sendo a mais conhecida a cafeína. Mas esse aumento é ínfimo. Uma pessoa que consumir 1 500 calorias e tomar quatro xícaras de chá verde por dia vai perder, em um ano, no máximo 2 ou 3 quilos. O chá verde é, de fato, uma interessante fonte de antioxidantes, moléculas que teoricamente retardam o envelhecimento, embora o processo seja de extrema complexidade. “Uma xícara por dia é o suficiente para turbinar a capacidade antioxidante do organismo”, diz Magnoni. “O chá verde também aumenta a elasticidade arterial, o que ajuda a controlar a arteriosclerose, e atua na diminuição do LDL, o mau colesterol.”

Manual do sobrevivente (envie para seu marido, namorado e amigos!)

Da Veja (ed. 2114)

Ela vive de regime, ele não vive sem picanha. Ela conta calorias, ele nem se dá mais conta das bolachas de chope. Ela pede uma saladinha no jantar com amigos, ele pensa em pedir um tempo. Mulheres de regime ficam insuportáveis, bufa ele, acenando para o garçom trazer uma dupla porção de torresmo só de raiva. Aguentar sabotadores de dieta é como dormir com o inimigo, sibila ela. Até para os casais mais equilibrados a dieta unilateral vira ponto de atrito. Alguns maridos nem falam mais nada, só suspiram e reviram os olhos daquele jeito irritante. O ideal é trazer o renitente ingeridor de gorduras para o lado da luz ou, pelo menos, assinar uma trégua estabelecendo termos de convivência mútua, tolerância e compreensão.

(…)

Quando a mulher se arma para um regime, o marido entra em campo minado. Abaixo, algumas manobras que o ajudarão a escapar mais ou menos ileso.

  • Ao ser informado da dieta, diga, em tom de absoluta sinceridade: “Você está ótima. Não precisa fazer regime!”. Mas não tente demovê-la com táticas baratas.
  • Não ofereça a ela NADA do que você estiver comendo.
  • Considere a amorosa hipótese de reviver a adolescência e beber escondido.
  • Jamais diga que mulheres de regime ficam, assim, meio estressadas.
  • No restaurante, faça a gentileza de você mesmo dispensar o couvert.
  • Reparta a sobremesa sem um único comentário.
  • Conte para os amigos, na frente da cara-metade, como a dieta dela tem contribuído para você se alimentar melhor embora ela, evidentemente, não precisasse fazê-la.
  • Ao ser informado do fim da dieta, diga, em tom de absoluta sinceridade: “Você está ótima. Parecia impossível, mas ficou melhor ainda!”.